Feira de Mataderos: outras "argentinas" em Buenos Aires

Nascida há três décadas, a Feira de Mataderos se transformou num passeio clássico de domingo para os que querem se conectar com as tradições argentinas relacionadas com o campo (e especialmente para os turistas que já conhecem a Feira de San Telmo e querem algo diferente para este dia). São 700 postos de venda, com ofertas que vão de artesanato a queijos e salames, passando por ponchos de lã e facas de todos os tipos, para não fazer feio em nenhum churrasco. Em meio a tudo isso, muita música, dança, comidas típicas de diferentes regiões da Argentina e ainda espetáculos de laço, corrida de cavalos e doma de potros. Cerca de 15 mil pessoas passam por lá a cada encontro!

Feira de Mataderos: outra “argentinas” em Buenos Aires

 

feria-de-mataderos-bienvenidos2

Feira de Mataderos: onde fica e como chegar

A feira se realiza no antigo “Mercado de Hacienda”, no bairro de Mataderos, que leva este nome porque era onde chegava o gado para ser controlado e comercializado. Fica na Av. Lisandro de la Torre esquina com Avenida de los Corrales, em meio a muitas árvores e uma construção antiga que era justo o Mercado – ou seja, área com informação histórica e arquitetônica! Funciona todos os domingos, das 11h às 20h. Em fevereiro funciona aos sábados, a partir das 18h.

Se bem Mataderos não está muito perto da região mais turística de Buenos Aires, é super fácil de chegar em carro ou ônibus. Confira as linhas de ônibus que te deixam lá:  36 – 55 – 92 – 63 – 80 – 92 – 97 – 103 – 117 – 126 – 141 – 155 – 180 – 185.

Importante: se chove não tem feira!

 

 

feira-de-mataderos-cavalo

Feira de Mataderos: Comidas e artesanato

Pense numa coisa relacionada com a tradição argentina. Certamente você vai encontrar na Feira de Mataderos! São mais de 700 postos que vendem de tudo: ponchos e mantas de lã, cuias de madeira, metal e “porongo”, facas, bolsas e tudo o mais que você possa imaginar em couro, bombas de chimarrão, rebenques, discos de arado (vai que alguém tá precisando!), queijos, doces, chocolates, vinhos, azeitonas, chimichurris. Ou seja, anota na agenda: é um dos melhores para comprar as famosas lembrancinhas. 

feira-de-mataderos-mate

Isso sem falar nos postos de comida bem argentina, como empanadas fritas e locro, uma espécie de feijoada daqui e outra que você descobrir por lá, como humitas, tamales e chala. E, obviamente, carnes preparadas e todas as maneiras, de choripans a assados gigantes!  Vá com fome e prove sem medo.

 feira-de-mataderos-comifa

Música: aproveite para dançar!

O ambiente musical provavelmente seja o que mais atrai gente  todas as partes para a Feira de Mataderos. Bem em frente ao monumento equestre ao Gaucho Resero, na entrada do Mercado, eles armam um palco GIGANTE, que desde a parte da manhã reúne grupos folclóricos de diferentes estilos e regiões da Argentina.

feira-de-mataderos-follore2

Pelo palco da Feira de Matadeiros já passaram grandes nomes da música nacional, como Mercedes Sosa, Peteco Carabajal, el Chango Spakiuk ou Víctor Heredia. E nas mesas comunitárias muita gente já encostou o cotovelo em famosos, como Francis Ford Coppola ou Peter Gabriel. Minha sugestão é que você chegue cedo, tipo meio dia, para visitar tudo com calma. Depois, lota!

feira-de-mataderos-criancas

Para fazer a digestão, e depois que todo mundo já tomou um vinho e está mais desinibido, aproveite para aprender alguma das danças locais, como a chacarera, uma das alegres e divertidas do folclore argentino. É o que todo mundo faz! Aproveite e espie o site oficial da Feira de Materos, que foi recentemente “modernizado” e tá tinindo de lindo.

feira-de-mataderos-danca

 

Leia mais: 

Feiras em Buenos Aires: as 4 melhores para conhecer 

Buenos Aires arket: feira de sabores 

Feira de San Telmo em Buenos Aires 

About the Author:

Gisele Teixeira
Jornalista, gaúcha de nascimento e do mundo por opção, vive em Buenos Aires há oito anos. É editora do blog Aquí me Quedo, declarado de interesse cultural pela Legislatura Portenha em 2015. Das coisas que mais gosta na vida: dançar tango, escrever, fotografar e viajar. É casada com o Edu e tem dois gatos, a Tita e o Polaco.