Medialuna e croissant: existe diferença?

MEDIALUNA ARGENTINA

Você que está pensando em vir a Buenos Aires certamente já tem o seu roteiro gastronômico como prioridade. Mas, às vezes, bate a dúvida sobre o que não pode faltar para realmente fazer um tour culinário completo. Confira neste post mais um item, a famosa medialuna argentina, para adicionar em sua lista de comidas obrigatórias. Saiba também a diferença entre o quitute e o (por diversas vezes confundido) croissant.

Medialuna recheada

“Quem quer pão, quem quer pão, quem quer pão. Que tá quentinho, tá quentinho, tá quentinho. ..”, já dizia a música. Pois bem, se você quer pão, a Argentina é o lugar, já que o país é mundialmente conhecido pela qualidade de seus produtos derivados do trigo. E não fica só no pão, evidentemente. É farinha por todo lado e, claro, tudo uma delícia (diga adeus a sua dieta).
Dentre tantas iguarias advindas do grão, o nosso destaque vai para… tchan-tchan-tchan-tchaaaan: a MEDIALUNA.
Ela, uma das receitas que marcam presença nas refeições de todo bom portenho. Café em Buenos Aires sem medialuna, definitivamente, não é café. Seja pela manhã, à tarde ou pela noite, a presença é confirmada.

SEMPRE À MESA

Medialuna com café

É um clássico, você já percebeu! Mas o que muita gente não sabe que é existem algumas variações da factura”. Aproveite para entender essa nomenclatura, já que os hermanos chamam assim a grande variedade de massas doces presentes no cardápio argentino.
Existe para todos os gostos e idades (e para todos os turistas também). Mais ou menos doces. Maiores ou menores. Todas maravilhosas!
Para massa existem basicamente duas versões: as feitas de manteca (manteiga) e as de grasa (banha/gordura). A segunda é mais salgada que a primeira, em geral, é mais fininha também.
Sei que você já deve estar imaginando o sabor do prato. Então, já te adianto que, para piorar, as medialunas ainda podem ser recheadas, com doce de leite ou creme, e até feitas ao estilo sanduíche, de queijo e presunto (jamón y queso). Isso mesmo!

MEDIALUNA X CROISSANT

Medialuna versus croissant

Mas pelas imagens você já deve ter notado a semelhança entre a medialuna e outra iguaria de nome francês, o croissant. Não é raro ver nossos turistas encucados e se perguntando se há diferenças entre os dois ou se, literalmente, é tudo farinha do mesmo saco.
Afinal, é diferente ou não é? Lógico que a primeiro grande diferencial é o sabor. Por aí, a receita também é distinta. Mas se você já provou e achou bem parecido, tem razão. As variações de ingredientes são poucas. O croissant leva mais manteiga e muiiiiito menos açúcar, além de não receber a calda, que deixa a medialuna ainda mais docinha e com aquele brilho especial. Outra diferença é que o croissant é bem mais folhado que sua prima sulamericana.
Pode até parecer sutil, mas, de fato, há diferença. Claro que vale a pena provar as duas guloseimas. Assim, você poderá descrever ainda melhor este dois sabores.

A HISTÓRIA

Como gastronomia é cultura, não podemos deixar de contar um pouco das memórias da medialuna. Senta que lá vem história!
Muitos por aí pensam que a Argentina copiou a receita da famosa massa gordurosa dos franceses. Mas não é por aí. Primeiro que, segundo diz a lenda, a massa não teria sido criada no país de Napoleão Bonaparte, mas na Áustria, com o nome de viennoiserie. 
O pãozinho (vamos chamá-la assim carinhosamente) foi criado por volta de 1683 em Viena. Na ocasião, o Império Otomano, que tentava expandir sua posse na Europa, planejou um ataque, por meio de túneis, à cidade austríaca.
Mas os padeiros da região que permaneciam acordados durante a noite, para que houvesse pão fresco pela manhã, deram o alarme ao exército local, o que fez com que os turcos não conseguissem invadir Viena. Mas o que isso ter a ver com bendito pão? Já te contamos.

QUEM TEVE A IDEIA

Depois de exímia colaboração com o exército, os padeiros passaram a ter direito exclusivo a fazer algo em comemoração. Daí, decidiram criar uma massa folhada em forma de meia-lua, símbolo representado na bandeira turca. Desta maneira, os vienenses tinham a oportunidade de, ao comer a gulodice, poderem destruir o símbolo dos inimigos. Pessoal criativo, não?
Já viram que há dúvidas, lendas e disputas pela invenção da medialuna (ou croissant, ou viennoiserie), fato é que, hoje, é um dos pratos típicos da Argentina, sem discussão.

ONDE COMER

Medialuna Dos Molinos

Agora que você já sabe a diferença entre medialuna e croissant, bem como um pouquinho mais sobre suas origens,  mesmo que seja só para provar, é obrigatório, heim? Desconheço alguém que não goste da iguaria. Depois não deixe de contar para a gente o que achou.
E se pensou que ia sair sem rumo buscando a factura por aí (embora não seja uma tarefa difícil em Baires), está muito enganado? Nada disso, elencamos para você onde encontrar os mais instigantes exemplares desta delícia.

CONFIRA ONDE COMER MEDIALUNAS EM BUENOS AIRES

Se está planejando sua viagem a Buenos Aires te recomendamos BAIXAR NOSSO APLICATIVO com dicas, lista de restaurantes, hotéis e passeios, se inscrever em nosso CANAL DO YOUTUBE com vídeos e dicas semanais e nos SEGUIR NO INSTAGRAM para acompanhar nossos posts direto de Buenos Aires.

Tem alguma dúvida?

Nome

Email

Mês da viagem

Duvida

Deseja receber nossas ofertas?

By | 2018-04-10T09:44:10+00:00 Abril 10th, 2018|Categories: Blog, COMER + BEBER, ROTEIROS + DICAS|Tags: , |0 Comments

About the Author:

Rachel Oliveira
Diretamente de Belo Horizonte, ela gosta mesmo é de uma prosa. Rachel é comunicóloga e pós-graduada em Marketing e Comunicação. Na Aguiar, coordena a equipe de marketing e atendimento, sempre com novas ideias e projetos. Apaixonada por cachorros, ela ama comida mineira e o vinho portenho é dono de seu coração. Cruzeirense, curte esportes e tenta ser fitness. Bem - humorada e fã de uma boa piada, é dona de uma gargalhada de muitos decibéis.