Você já ouviu falar alguma vez do fileteado porteño (filete portenho para os brasileiros)? Se não ouviu, é provável que já tenha pelo menos visto algo parecido nos caminhões mais antigos estradas do Brasil afora. Hoje vamos falar desse traço tão característico da capital portenha. Exposto nos mais diferentes e originais suportes, ele está por todos os lados da cidade.

 

Filete portenho: arte popular

de Buenos Aires

 

Filete_portenho_Gov_da_Cid_silvia_dotta_02

Foto: Silvia Dotta. Governo da Cidade de Buenos Aires.

 

O filete portenho é uma arte decorativa popular que lança mão do desenho e da pintura com linhas muito finas para criar os mais diferentes trabalhos. O uso de cores brilhantes, o contraste entre luzes e sombras e a saturação do espaço são algumas das características dessa arte.

 

Filete_portenho_Flickr_Fileteado_puro_Sarah_and_Iain

Foto: Sarah and Iain. Usuário Flickr.

 

Essas linhas ou filetes podem subir em espirais, converter-se em folhas estilizadas, flores, pássaros, cavalos, animais fantásticos, bandeirolas, pedras preciosas e outras formas. Fitas e laços com as cores da bandeira argentina são também muito comuns.

 

 

A música, o futebol e muito mais

pelo filete portenho

 

 

Os temas utilizados pelo filete portenho são muitos e diversos entre si. Vão desde ídolos da música e clubes de futebol a ícones religiosos, frases e ditos populares. Varia, claro, de acordo com a época em que são executados e dizem muito de cada período. A técnica, no entanto, permanece a mesma.

 

Como nasceu a arte do filete portenho

 

 

O filete portenho já faz parte da paisagem da cidade há anos. Ele nasceu no final do século XIX, da mão e inspiração de imigrantes italianos, com o propósito inicial de ornamentar carros. Atualmente, como dissemos antes, faz parte da paisagem portenha. Os ônibus talvez sejam o suporte mais utilizado, mas eles estão também em placas de lojas e restaurantes, nas estações de metrô e muitos outros locais.

 

O filete portenho na cidade

 

Filete_portenho_Gov_da_Cid_

Foto: Estrella Herrera. Governo da Cidade de Buenos Aires.

 

Os bairros onde mais se vê o uso dessa arte popular atualmente são San Telmo, La Boca, Boedo e Abasto. Uma boa forma de conhecê-la e apreciá-la é visitar algumas estações de metrô onde essa arte deixou sua marca. Na linha B, a estação Carlos Gardel traz obras dos fileteadores Andrés Compagnucci  e León Untroib. Na linha E, a estação Boedo conta com a assinatura de Pedro Cuevas. Por fim, na estação Corrientes, da Linha H, Enrique Santos e Carlos Gardel são homenageados por Jorge Muscia e Alfredo Martínez.

 

Exposições

 

Filete_portenho_Museo_de_la_Ciud_

Foto: Obra de Alfredo Genovese. Museu da Cidade.

 

Em 1970, foi realizada a primeira exposição dedicada ao filete, reunindo trabalhos de distintos artistas. Organizada por Esther Barugel e Nicolas Rubio na Galeria Wildenstein, deu um grande impulso ao gênero. As obras expostas encontram-se atualmente no Museu da Cidade. Neste mês de maio (2016), o museu inaugurou a mostra Vigencia del filete porteño Alfredo Genovese, com entrada livre e gratuita.

 

Proibição e Decadência

 

Filete_portenho_Gov_da_Cid_filetes_quique_01_0

Foto: Governo da Cidade.

 

Mas ao longo dos anos, a arte do filete portenho foi perdendo força. Em parte por causa de uma lei promulgada em 1975 – e revogada anos depois -, que proibia o uso do filete portenho nos ônibus da cidade. O fechamento de fábricas de carrocerias que empregavam artesãos do filete e a morte de muitos dos mestres que não deixaram discípulos também contribuíram para o fenômeno.

 

Renascimento da arte do filete portenho

 

Filete_portenho_zapatillas_fileteadas_Gov_da_Cid

Foto: Governo da Cidade de Buenos Aires.

 

A busca de novos suportes e espaços para o filete portenho acabou levando ao renascimento dessa arte. Usada hoje na decoração de objetos, na moda, na linguagem publicitária e até na arte do bodypainting, só para citar alguns, o filete ganha cada vez mais espaço e se reafirma cada vez mais como um traço tipicamente portenho, assim como o tango.

 

Filete_portenho_Flickr_Christine592

Foto: Christine592, usuária Flickr.

 

É comum encontrar lojas e vendendores ambulantes de souvenires com objetos decorados com o filete portenho. Quadros são também comuns e muito procurados pelos turistas.

 

Filete portenho: Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade

 

Filete_portenho_Gov_da_Cid_diego_prenollio_0

Foto: Diego Prenollio. Governo da Cidade.

 

Em dezembro de 2015,o filete portenho foi declarado Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pelo Comitê Intergovernamental para a Salvaguarda da Unesco.  Tal declaração traz consigo a garantia de que o Estado irá proteger essa atividade e realizar ações para desenvolvê-la.