Caminito: o que fazer

Você já ouviu falar no Caminito? Sabe que é uma atração turística de Buenos Aires, mas não sabe exatamente o que é?  Pois a gente vai te contar agora do que se trata e o que você pode fazer por lá, já que há várias atrações interessantes para conhecer pelas redondezas!

Caminito: o que fazer

O Caminito é isso mesmo que o nome sugere: um pequeno caminho, um calçadão de cerca de 150 metros de comprimento. Mas não é só isso. Trata-se de um dos mais emblemáticos cartões-postais de Buenos Aires. Graças ao colorido de suas casas, esculturas e murais, que formam uma espécie de “museu a céu aberto”, atrai inúmeros visitantes a cada ano.

O Caminito e seus conventillos

Tudo começou com a chegada dos imigrantes, principalmente espanhóis e italianos, no final do século XIX e início do século XX. Eles se estabeleceram no bairro de La Boca, dando início aos famosos conventillos (cortiços) – um tipo de moradia coletiva, construída com madeira e chapas de zinco, onde cada quarto era alugado por uma família diferente.

Essas casas eram pintadas com restos de tintas que se conseguiam pelas redondezas, e por isso eram tão coloridas. Hoje, mantidas e preservadas como identidade do bairro, muitas delas abrigam lojinhas de venda de souvenir. Não deixe de dar uma voltinha nesses locais, nem que seja só pra ver o colorido e a singularidade dos antigos conventillos.

Antes do Caminito

Na época em que chegaram os imigrantes, passava um córrego no local onde hoje está o Caminito. Por isso hoje ele tem um traçado sinuoso, pois segue o caminho desse curso d’água. A partir de um determinado momento, a área passou a formar parte do trajeto da estrada de ferro que levava até Ensenada, localidade próxima à capital.Mas em 1928 essa parte do percurso foi fechada e o local, abandonado.

Nasce o Caminito

Em 1950, um grupo de moradores – entre os quais se encontrava o pintor Quinquela Martíndecidiu limpar e recuperar o espaço, que recebeu esculturas e murais de diferentes artistas. Daí vem o conceito do Caminito como um “museu a céu aberto”.

Também foi por iniciativa de Quinquela Martín que o calçadão foi batizado de Caminito, em 1959, em homenagem ao tango de mesmo nome composto por Juan de Dios Filiberto e Gabino Coria Peñaloza.

Museu Benito Quinquela Martín

Quinquela_Martín_01

Se você está no Caminito, não deixe de visitar o Museu de Belas Artes Benito Quinquela Martín, que fica a uns poucos passos de distância. Quinquela Martín foi um dos mais prolíficos e populares artistas plásticos argentinos do século XX. O museu que leva seu nome possui uma importante coleção de obras de arte argentinas desde o século XIX até hoje. No terceiro piso, encontra-se a Casa-Museu de Quinquela Martín, onde são exibidos obras do artista e objetos pessoais.

 Veja aqui nosso post completo sobre o artista plástico Quinquela Martín

Teatro de La Ribera

Ao lado do Museu Benito Quinquela Martín está o Teatro de la Ribera, uma das tantas obras tornadas realidade graças à generosidade do artista, também chamado “gênio de La Boca”, que doou os terrenos do teatro ao Conselho Nacional de Educação. Inaugurado em 1971, é na verdade um centro cultural que abre espaço para diversas expressões artísticas, tendo no Tango sua principal atividade. No local – que foi declarado Sala Oficial e Exclusiva do Tango pelo Governo da Cidade – são realizadas milongas e shows ao vivo. O Teatro de la Ribera conta também com um espaço dedicado à fotografia e oito murais no hall de entrada realizados por Quinquela Martín.

Ponte Transbordador

A paisagem no bairro de La Boca é dominada pelo Caminito e o Riachuelo. Sobre o famoso e hoje poluído riacho, encontram-se duas pontes que formam uma das silhuetas mais características de La Boca: ambas se chamam Ponte Transbordador Nicolás Avellaneda e conectam a capital com a localidade de Avellaneda.Fotografia clássica para quem está em La Boca.

Saiba mais aqui sobre a Ponte Transbordador

Fundação Proa

Nas imediações do Caminito, você pode visitar também a Fundação Proa, uma instituição dedicada à arte contemporânea. Além de exposições temporárias ao longo do ano, promove cursos, seminários, concertos e conferências, sempre no contexto da arte dos séculos XX e XXI.

A Fundação Proa conta com uma livraria especializada em arte contemporânea e editoras independentes. Se for por lá, vá ao segundo andar do edifício, onde fica o Café Proa, que oferece um cardápio especial e uma vista espetacular de alguns pontos típicos do bairro de La Boca.

Leia nosso post sobre a Fundação Proa

 La Bombonera

Imperdível para os amantes de futebol – e até mesmo pra quem não curte muito – é a visita ao estádio do Boca Juniors, conhecido como La Bombonera, que também fica em La Boca. É reconhecido internacionalmente como um dos mais emblemáticos do mundo e tem o formato parecido ao de uma caixa de bombons – daí seu apelido. Dentro do local, o Museo de La Pasión Boquense conta a história do clube através de fotos, troféus, camisetas e outros recursos.

Saiba mais sobre a visita ao museu e ao estádio aqui

La Boca

O bairro de La Boca é, sem dúvida, um referente cultural de Buenos Aires e tem algumas das paisagens mais características da cidade. Mas esteja atento para não sair do circuito turístico e se aventurar por becos e ruas desconhecidas, pois não é um bairro seguro. Levando isso em conta, pode desfrutar do seu passeio sem maiores preocupações.

Se está planejando sua viagem a Buenos Aires te recomendamos BAIXAR NOSSO APLICATIVO com dicas, lista de restaurantes, hotéis e passeios, se inscrever em nosso CANAL DO YOUTUBE com vídeos e dicas semanais e nos SEGUIR NO INSTAGRAM para acompanhar nossos posts direto de Buenos Aires.

Tem alguma dúvida?

Mês da viagem

Nome

Email

Duvida

Deseja receber nossas ofertas?


By |2018-09-28T00:14:45+00:00setembro 7th, 2017|Categories: ARTE + CULTURA, Blog, PASSEIOS + PONTOS TURÍSTICOS, ROTEIROS + DICAS|Comentários desativados em Caminito: o que fazer

About the Author:

Adriana Albuquerque
Piauiense de nascimento, cearense de coração e casada com um portenho, Adriana adotou Buenos Aires há 9 anos. Ela é formada Comunicação Social e mãe de uma adolescente e de um filho pequeno. Uniu-se à equipe da Aguiar para produzir posts para o blog e hoje é a nossa redatora mais ativa. Provavelmente você já leu e anotou uma dicas que ela passou. Apaixonada pelo Brasil, aprendeu a amar também Buenos Aires. Já não pode viver sem mate, o chimarrão local. Adora ler, comer e viajar.