Palermo Soho: polo gastronômico e cultural

Você sabia que o bairro de Palermo, em Buenos Aires, é o maior da cidade? E que nele você encontra de um tudo, desde bosques e belas praças a hotéis, pousadas, restaurantes, bares e boates, lojas de roupas e galerias de arte, entre outras coisas? Palermo é diversão garantida e hoje vamos falar de um pequeno trecho desse paraíso: Palermo Soho.  

Palermo Soho: polo gastronômico e cultural

O bairro de Palermo é um importante polo gastronômico, cultural e audiovisual da capital portenha. Tem uma extensão total de quase 16 km² e está dividido extraoficialmente por regiões ou sub-bairros, de acordo com o tipo de atividade que se realiza em cada parte. Palermo Soho, talvez o mais popular de todos, destaca-se principalmente nas áreas gastronômica e cultural.

“Identidade Soho”

O nome Palermo Soho, como é fácil deduzir, surgiu por causa da semelhança de identidade entre essa área de Palermo com os bairros Soho de Nova Iorque e de Londres. Palermo Soho é um reduto de designers de moda, artistas e proprietários de galerias e restaurantes que decidiram estabelecer-se nessa região. Para isso, investiram na reforma de antigas propriedades, mantendo o aspecto original, sem deixar de lado a beleza e a funcionalidade.

Negócios em Palermo Soho

Palermo Soho concentra os locais mais comerciais de Palermo, como lojas de roupa das melhores marcas, lojas de decoração e design, restaurantes, bares e pubs. A área tem uma pulsante vida noturna, sendo que a maior concentração de negócios fica nos arredores do cruzamento das ruas Honduras e Jorge Luis Borges (antiga calle Serrano), na altura da Plaza Julio Cortázar (mais conhecida como Plaza Serrano), coração de Palermo Soho.

Palermo Soho, Cortázar e Borges

E já que falamos de Jorge Luis Borges e Julio Cortázar fazemos uma pausa para dois detalhes bem legais: o primeiro é que a mudança do nome da rua Serrano para Jorge Luis Borges foi porque nessa rua fica a casa em que o escritor viveu durante quase toda a sua infância e até os 15 anos (rua Jorge Luis Borges, 2135). Além disso, tanto ele, quanto Julio Cortázar fazem várias referências ao bairro ao longo de suas obras. Daí porque também a Legislatura Porteña (Poder Legislativo da Cidade de Buenos Aires) decidiu mudar o nome da Plaza Serrano para Plaza Julio Cortázar em 1994, quando se completaram dez anos do falecimento do escritor.

Design argentino

Caminhando por Palermo Soho, vai ser difícil não parar em cada vitrine das lojinhas de design e decoração que vão surgir no seu caminho. Você vai entender in loco porque os designers argentinos são tão bem conceituados mundo afora. Alguns locais que você pode curtir: Acabajo, Agnes, Chapó Loló, Positivo, Mil Gracias Objetos Merecidos, entre outros.

O mesmo vale para as lojas de roupa, tantos as de grifes quanto as mais alternativas, de designers independentes. Entre os estilistas argentinos mais conhecidos presentes em Palermo Soho estão Benito Fernández, Jazmín Chebar e Natalia Oreiro, que também é atriz.

Festa gastronômica

Comer em Palermo Soho pode ser uma experiência clássica, moderna, étnica, chique, simples ou tudo ao mesmo tempo. É que a enorme variedade de restaurantes da região abre um amplo leque de possibilidades, que inclui da tradicional parrilla argentina à cozinha italiana, francesa, árabe, judaica, peruana, brasileira, mexicana, japonesa, vietnamita, tailandesa e vegetariana, entre outras. Depende do que você estiver afim naquele dia!

Bares e boates

Palermo Soho é um dos melhores lugares de Buenos Aires para curtir a noite – ou mesmo tomar umas cervejinhas durante o dia. São mais de 100 bares e boates agitando a região, muitos deles como música ao vivo, como Borges 1975, La Paila, Manchester Pub, Sheldon Bar, Virasoro, entre outros. A região também tem vários locais especializados em cerveja artesanal, como a pequena e aconchegante Cervecería Nacional e a familiar Lo de Cholo.

Efervescência cultural

A região de Palermo Soho é também um reduto de galerias de arte, teatros e salas de espetáculo. Com tanta opção, difícil para os amantes das artes plásticas e cênicas vai ser escolher aonde ir e o que conhecer primeiro. Muitos deles têm de tudo, desde salas de espetáculos, de ensaios e de exposições até bar e/ou restaurante. Aqui algumas dicas: Buenas Artes Social Club, El Universal Espacio Cultural e FoLa (Fototeca Latinoamericana).

Livrarias para todos os gostos

Há também muitas livrarias em Palermo Soho, muitas delas instaladas em charmosas casonas, como se chama por aqui os casarões de antigamente. Outras mais modernas, mas todas bem variadas e com ótimos títulos. Uma delas é a Libros del Pasaje, que reúne um acervo variado, uma equipe afiada e um ambiente aconchegante. E ainda tem cafezinho! A Eterna Cadencia aposta em livros mais fora do circuito comercial. Além de livraria, é também editora e restaurante.

A escolha por editoras independentes também é uma característica da Mil Grullas, perto da Plaza Armenia, que também cuida com carinho da seleção do acervo infantil. Para quem procura livros de arte, fotografia, arquitetura e design, o lugar certo é a Livraria Prometeo. Por fim, Dain Usina Cultural que também dirige seu acervo aos livros de arte e literatura.

Se está planejando sua viagem a Buenos Aires te recomendamos BAIXAR NOSSO APLICATIVO com dicas, lista de restaurantes, hotéis e passeios, se inscrever em nosso CANAL DO YOUTUBE com vídeos e dicas semanais e nos SEGUIR NO INSTAGRAM para acompanhar nossos posts direto de Buenos Aires.

Tem alguma dúvida?

Mês da viagem

Nome

Email

Duvida

Deseja receber nossas ofertas?

By |2018-09-27T23:21:45+00:00agosto 30th, 2017|Categories: ARTE + CULTURA, Blog, COMER + BEBER, ROTEIROS + DICAS|Comentários desativados em Palermo Soho: polo gastronômico e cultural

About the Author:

Adriana Albuquerque
Piauiense de nascimento, cearense de coração e casada com um portenho, Adriana adotou Buenos Aires há 9 anos. Ela é formada Comunicação Social e mãe de uma adolescente e de um filho pequeno. Uniu-se à equipe da Aguiar para produzir posts para o blog e hoje é a nossa redatora mais ativa. Provavelmente você já leu e anotou uma dicas que ela passou. Apaixonada pelo Brasil, aprendeu a amar também Buenos Aires. Já não pode viver sem mate, o chimarrão local. Adora ler, comer e viajar.