Palais de Glace: patinação, tango, história e arte

Tem muita gente que visita a Recoleta e nem repara neste incrível espaço chamado Palais de Glace. O edifício foi projetado há mais de 100 anos para ser uma pista de patinação no gelo e encontro da alta sociedade portenha. Entrou para história também por ser o primeiro lugar a sediar uma noite de tango para a elite de Buenos Aires e onde Carlos Gardel levou um tiro. Hoje é sede de belas exposições de arte e fotografia. Vamos por partes.

 

Palais de glace

 

Se a gente voltasse no tempo e entrasse no Palais de Glace no ano de sua inauguração, 1911, veríamos jovens patinando sobre uma pista circular de gelo ao som de valsas vienenses. Ao redor, um público heterogêneo, que acompanhava as piruetas ou degustava delícias na cafeteria, iluminados por uma grande cúpula de luz natural.  A ideia era criar um lugar inspirado no famoso Palais de Glaces, de  Paris.

 

palais de glace, 1930

 

Como todas as modas, a patinação também passou. E o Palais de Glace começou a funcionar como salão de baile. Em 1912, o barão (e bom-vivant) Antonio de Marchi organizou nesta sala o que seria o primeiro grande baile de tango para a sociedade portenha. O lugar chegou a receber conjuntos famosos do ritmo, como a orquestra de Julio de Caro e Roberto Firpo.  

Já que você está pela Recoleta, visite o Museu de Belas Artes. 

palais de glace tango

 

Pois eis que na noite de 11 de dezembro de 1915, ao sair do Palais de Glace, onde tinha festejado seu aniversário, Carlos Gardel foi baleado à queima-roupa em um incidente com “patotas” da época. A bala nunca foi extraída! O final da década de 1920 marca o declínio do Palais de Glace. Em 1931, o edifício passa ao Ministério da Educação e Justiça para ser sede da Direção Nacional de Belas Artes, que realizava anualmente o Salão Nacional de Artes, até 1954, quando o espaço foi então destinado a funcionar como anexo aos estúdios de televisão do então Canal 7.

Leia mais sobre Carlos Gardel nesse nosso post especial. 

palais de glace

 

Em 1960, as salas voltaram a ser usadas como espaço de arte. Atualmente, além de exposições temporárias, o Palais de Glace é sede do Salão Nacional de Artes Visuais, o evento de artes plásticas mais importante da Argentina, com prêmios para pintura, escultura, desenho, gravado e cerâmica, entre outros. Possui um patrimônio de cerca de mil obras e sempre oferece mostras interessantes. Uma das mostras mais bacanas é a dos Repórteres Fotográficos da Argentina, que acontece anualmente.

 

Palacio Nacional de la Artes (Ex-Palais de Glace)

Serviço: Posadas, 1725.  Web: http://www.palaisdeglace.gob.ar/

Veja mais:

Recoleta: o bairro que tem que estar no seu roteiro

Cemitério da Recoleta: um lugar onde a vida pulsa

Bike Tour Parques e Praças: Palermo e Recoleta em Bicicleta 

Centro Cultural Recoleta: para os amantes das artes

By |2016-12-06T13:13:37+00:00dezembro 6th, 2016|Categories: Blog, PASSEIOS + PONTOS TURÍSTICOS, ROTEIROS + DICAS|Tags: , , , , |Comentários desativados em Palais de Glace: patinação, tango, história e arte

About the Author:

Gisele Teixeira
Jornalista, gaúcha de nascimento e do mundo por opção, vive em Buenos Aires há 10 anos. É editora do blog Aquí me Quedo, declarado de interesse cultural pela Legislatura Portenha em 2015. Das coisas que mais gosta na vida: dançar tango, escrever, fotografar e viajar. É casada com o Edu e tem dois gatos, a Tita e o Polaco.