Praça Francia e arredores: coração da Recoleta

A Praça Francia é mais um dos inúmeros espaços verdes de Buenos Aires. Fica na Recoleta e tem uma localização privilegiada, próxima a diversos pontos turísticos. Além disso, rende fotos espetaculares. Quer saber mais? Siga com a gente!

Praça Francia e arredores: coração da Recoleta

A Praça Francia fica no encontro das avenidas Del Libertador e Pueyrredón, uma esquina estratégica do bairro da Recoleta. Carlos Thays, paisagista responsável por diversos espaços verdes da cidade, foi também quem assinou esse projeto. Ele pode ser visto na foto acima, sentado no banco no meio da praça, com o monumento ao fundo.

O centro da Praça Francia está dominado por um monumento intitulado “Francia a la Argentina” (“França à Argentina”), do escultor francês Edmond Peynot . A obra foi um presente da comunidade francesa aos argentinos pela passagem do Centenário da Revolução de Maio (1910).

Monumento da Praça Francia

O monumento de Peynot conta com quatro figuras em mármore de Carrara bem no centro. Elas representam a Ciência, a Indústria, a Agricultura e as Artes. Quatro baixos-relevos realizados em bronze fazem referência a fatos históricos importantes dos dois países: La Primera Junta de Gobierno Criollo (“A Primeira Junta do Governo Crioulo”) e “El Paso de los Andes” (Passagem dos Andes), na Argentina; e a “Tomada da Bastilha” e “A Declaração da Independência”, na França.

França e Argentina na Praça Francia

A França e Argentina também estão representadas. São as duas figuras femininas presentes no topo do monumento, guiadas por um anjo que personifica a Glória.  Algumas personalidades de origem francesa são recordadas em placas que levam seus nomes, como o granadeiro Domingo Porteau, que faleceu durante o combate de San Lorenzo na luta pela Independência argentina; e o escritor e jornalista Émile Zola. Por fim, um busto de bronze realizado por Djibilian Lazaro representa Louis Braille, criador do sistema braille para cegos.

Praça Francia X Praça Intendente Alvear

A Praça Francia é muito confundida com a Praça Intendente Alvear, que fica bem em frente. Inicialmente, a feirinha de artesanato da Recoleta que hoje está nesta praça acontecia na Praça Francia. Quando a feira se mudou à Praça Intendente Alvear, continuou sendo chamada de Feira da Praça Francia, por isso até hoje existe confusão com os nomes das praças.

Monumento a Torcuato de Alvear

A Praça Intendente Alvear recebeu esse nome em homenagem ao primeiro intendente de Buenos Aires, Torcuato de Alvear. Como era de se esperar, tem também um monumento em homenagem a ele, inaugurado em 1900. Trata-se de um busto com sua imagem, instalado na parte inferior de uma coluna dórica, adornada com uma figura alada de bronze que simboliza “A Glória”. Na base, imagens em baixo relevo representam a abertura da Avenida de Maio, a pavimentação da Cidade e a parquização da Recoleta. Os autores da obra foram A. Jons e Juan Lauer.

Feirinha

A Praça Intendente Alvear é bem maior que a Praça Francia e fica num grande terreno em declive, generosamente arborizado. Há cerca de 30 anos recebe todos os fins de semana uma feirinha de artesanatos, frequentada por portenhos e turistas das mais variadas partes do mundo. Além de uma grande variedade de produtos, como pequenos objetos de arte, bijouterias, artigos de couro, prata, vidro, madeira, cerâmica, entre outros, a feira conta também com atividades culturais de todo tipo, como apresentações musicais e teatro de bonecos.

Buenos Aires Design

Nos arredores da praça, diversas atrações chamam a atenção do turista – e merecem uma visita. Se você gosta de design e decoração, por exemplo, pode querer conhecer o Buenos Aires Design. Ele fica coladinho na Praça Intendente Alvear, sendo praticamente uma continuação dela.

O local tem 100 lojas comerciais, dois andares, e um terraço espetacular no primeiro nível que se junta com a praça de alimentação. No Buenos Aires Design fica o Hard Rock Café e uma série de outras opções gastronômicas interessantes. Não deixe de conhecer a Morph, uma loja lindinha de design.

Centro Cultural Recoleta

Mas se a ideia é um passeio mais cultural, você pode começar pelo Centro Cultural Recoleta, um dos pontos de encontro para os amantes da cultura e das artes em geral em Buenos Aires. Inaugurado em 1980, tem sempre uma programação interessante, com espetáculos de dança, música e teatro, mostras de artes visuais, ciclos de cinema, além de cursos e oficinas.

Basílica Nuestra Señora del Pilar

Ao lado do Centro Cultural Recoleta, a Basílica Nuestra Señora del Pilar é outro local onde vale a pena dar uma parada. Uma das mais antigas igrejas de Buenos Aires é também uma das mais lindas obras da arquitetura colonial portenha e conserva o estilo original barroco.

Inicialmente era uma capela que pertencia à ordem dos Franciscanos Recoletos e foi construída em 1732. Mas os freis foram expulsos em 1821 e o convento, fechado. No terreno onde os franciscanos tinham uma horta, construiu-se o Cemitério da Recoleta e em outro edifício da ordem, o Centro Cultural Recoleta. O templo foi elevado a Paróquia em 1829 e, em 1936, basílica menor. Em 1942, foi declarado Monumento Histórico Nacional.

Cemitério da Recoleta

Mais que um cemitério, um “museu a céu aberto”. O Cemitério da Recoleta, vizinho à Basílica Nuestra Señora del Pilar, tem mais de 90 abóbadas declaradas  Monumento Histórico Nacional. Além disso, conta com uma longa lista de “hóspedes” ilustres, desde líderes políticos a escritores, Prêmios Nobel e esportistas, entre outros. O túmulo de Evita é um dos mais procurados, mas existem outros bem mais bonitos. O Cemitério da Recoleta foi construído em 1822 e foi o primeiro cemitério público da cidade.

La Biela

De frente para o Cemitério da Recoleta e para a Basílica de Nuestra Señora del Pilar está o Café La Biela, uma ótima opção para dar uma parada e descansar da maratona turística pela Recoleta.

Hoje um ícone portenho, o Café La Biela ganhou fama depois que um grupo de amigos amantes do automobilismo passou a frequentar o local. Símbolo de toda uma geração de intelectuais das décadas de 60 e 70, era dos preferidos de Jorge Luis Borges e Adolfo Bioy Casares. Tanto que a dupla foi imortalizada no local, através de uma mesa com as estátuas dos dois escritores.

O Café La Biela foi declarado “Lugar de Interesse Cultural” pela Legislatura da Cidade de Buenos Aires, em 1999 e faz parte da lista de Bares Notables de Buenos Aires.

Museu de Belas Artes

Do outro lado da Avenida Libertador, em frente à Praça Francia, encontra-se o Museu Nacional de Belas Artes, um dos mais importantes da América Latina e o que tem o maior patrimônio artístico da Argentina. Através de suas mais de duas mil obras, o museu faz uma viagem pela história da arte, desde a idade média até o século XXI – divididos em escolas, períodos, estilos e autores. Imperdível!!!

Se está planejando sua viagem a Buenos Aires te recomendamos BAIXAR NOSSO APLICATIVO com dicas, lista de restaurantes, hotéis e passeios, se inscrever em nosso CANAL DO YOUTUBE com vídeos e dicas semanais e nos SEGUIR NO INSTAGRAM para acompanhar nossos posts direto de Buenos Aires.

Tem alguma dúvida?

Mês da viagem

Nome

Email

Duvida

Deseja receber nossas ofertas?

By |2018-09-27T23:05:15+00:00setembro 27th, 2017|Categories: ARTE + CULTURA, Blog, COMER + BEBER, COMPRAS + DINHEIRO, PASSEIOS + PONTOS TURÍSTICOS|Comentários desativados em Praça Francia e arredores: coração da Recoleta

About the Author:

Adriana Albuquerque
Piauiense de nascimento, cearense de coração e casada com um portenho, Adriana adotou Buenos Aires há 9 anos. Ela é formada Comunicação Social e mãe de uma adolescente e de um filho pequeno. Uniu-se à equipe da Aguiar para produzir posts para o blog e hoje é a nossa redatora mais ativa. Provavelmente você já leu e anotou uma dicas que ela passou. Apaixonada pelo Brasil, aprendeu a amar também Buenos Aires. Já não pode viver sem mate, o chimarrão local. Adora ler, comer e viajar.